Fechar

Notícias

03 Apr de 2019 Dinâmica em movimento

Revestimentos 3D: Beleza e requinte em alto relevo

Forte tendência nos atuais projetos de interiores, os revestimentos 3D apresenta um belo efeito estético que salta os olhos. Além disso, esses revestimentos contam com vantagens como a fácil manutenção e grande durabilidade. A arquiteta Fabiana Aurélio explica que, diferente da pintura convencional, que precisa ser refeita de cinco em cinco anos, os revestimentos 3D podem durar mais do o dobro disso. “Além de ser fácil para limpar, ele dificilmente vai quebrar ou deteriorar com o tempo. Essa é uma das maiores vantagens, o custo-benefício”, esclarece a profissional.

Fabiana assina o projeto do decorado do Residencial Celebrate Vaca Brava. O apartamento recebeu revestimento 3D na sala e na cozinha. A arquiteta destaca que outra característica desse tipo de cobertura é a versatilidade. “É um revestimento que cabe em qualquer ambiente. Porém, é preciso atentar-se para alguns detalhes para não errar, como, por exemplo, observar o volume do desenho em 3D. Algo muito grande em ambientes pequenos, como o banheiro, pode não ficar legal. É preciso também averiguar se o estilo do relevo ou o desenho conversa bem com o restante da decoração do ambiente”, explica.

Azulejo, gesso, cimento, MDF e madeira são alguns tipos de materiais que podem ser usados para compor os revestimentos 3D. E isso, lembra Fabiana, também precisa ser levado em conta quando se está fazendo um projeto de interiores. As principais diferenças entre esses materiais são o custo-benefício e a durabilidade. “Os revestimentos em 3D feitos de azulejos podem ser usados tanto em áreas internas quanto em áreas externas, apresentando boa durabilidade. Já as placas em 3D feitas de gesso não são recomendadas para áreas molhadas e áreas externas. No entanto, podem ser ideias para áreas molhadas e áreas externas. No entanto, podem ser ideais para áreas internas, pois apresentam um bom acabamento e redução de custo frente às de azulejo. Já os revestimentos 3D em MDF também não são indicados para áreas externas, onde podem sofrer desgaste por causa da chuva e do sol”, indica arquiteta.

Na hora de instalar, todo cuidado é pouco. A durabilidade do revestimento também depende disso. “Esse material requer uma boa instalação, principalmente para que não haja espaços ocos entre a peça e a parede. Isso evitará fissuras nas placas. Outro cuidado importante é evitar pendurar objetos decorativos, pois podem quebrar ou trincar a cobertura em 3D”, diz. Caso esse tipo de decoração seja necessária, Fabiana recomenda recortar a peça e criar um vão para encaixar o objeto.

 

Cores

Os revestimentos em 3D, dependendo do tipo de material, podem ser fabricados com cores. A dica da arquiteta Fabiana Aurélio é tentar evitar os tons muito vibrantes, que podem facilmente cansar os olhos e precisar de retoques mais cedo do que se deveria. “O ideal é optar por tons sóbrios”, conta. A profissional lembra que é possível brincar com o tamanho do ambiente, também usando as cores. “Se você optar por um revestimento muito escuro, pode dar a impressão que o local é menor. Partindo de tons mais claros, ocorre o contrário”, esclarece.

Fonte: Ludovica

Voltar